N

O

S

S

O

C

O

L

E

T

I

V

O

quem somos e sobre o que giramos

2022

Elenir Rosa (Sandra)

Sou mãe solteira, tenho 8 filhos. 5 moram comigo e os menores são a Ana Sophia, que tem 9 anos e estuda na Darcy Vargas, o João David que tem 11 e estuda na Darcy também e o João Vitor que tem 14 e estuda no Benjamin Constant. Aqui é como um coração de mãe, se não fosse a Lanchonete eu nem imagino o que seria de nós mães. Infelizmente com a pandemia eu perdi o meu emprego. Aqui a gente aprende e ensina de tudo, pra mim é muito bom estar aqui e com os meus filhos podendo estar perto de mim. Faço parte do coletivo GUERREIRAS DA GAMBOA e do mutirão de cuidados com o espaço.

sandra.jpeg

Roberta Matheus

Sou Roberta, sou mãe solteira, moro em uma ocupação na Livramento.
Meu filho tem 8 anos e estuda no colégio público. Eu não terminei os estudos mas estou tentando supletivo. A Lanchonete é uma fonte de ajuda em todos os sentidos, tanto financeira quanto de saúde mental. Ela representa muita coisa nesse momento, mas se eu for falar pra você não tem explicação certa.
S
ou de dois coletivos aqui na Lanchonete, MULHERES MULTIPLICADORAS e GUERREIRAS DA GAMBOA além de participar do ENTREPOSTO e mutirão de cuidados com espaço.

roberta.jpeg

Fabiana

Gosto da cozinha, é um presente pra mim. Ganhamos o edital COZINHAS SOLIDÁRIAS da GASTROMOTIVA  com nosso coletivo de cozinheiras  GUERREIRAS DA GAMBOA. Estamos fazendo sucesso, entregando quentinhas na nossa comunidade e o pessoal tá gostando muito.

IMG_20221004_110659.jpg

Mestre Mangueirinha
Eu sou o Carlos Henrique, professor de percussão da Lanchonete. Nasci na Vila Isabel, RJ, me graduei em licenciatura em música no Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário Brasileiro de Educação, sou percussionista, mestre de bateria do Cordão do Boitatá, diretor de bateria do G.R.E.S. Unidos de Vila Isabel, coordenador da bateria do G.R.C.E.S.M Herdeiros da Vila coordenador e professor da bateria de crianças e adolescentes com e sem deficiência do Instituto Tim. Sou um educador musical e minha maior missão é motivar e educar jovens das comunidades e favelas do Rio de Janeiro na esperança de promover oportunidades, um presente de mais realizações e um futuro mais promissor.

mangueirinha.jpg
grauna

Mestre Graúna

Mestre Graúna do Porto, Célio Augusto Braga chegou à região portuária do Rio de Janeiro com 10 anos. Aos 24, mergulhou no universo das capoeiras de rua. Hoje com 63 anos, Mestre Graúna do Porto é considerado patrimônio vivo cultural da região. Fundador do bloco carnavalesco Alegria Portuária e atuante há mais de 30 anos na disseminação da capoeira estilizada no Rio.

Douglas Malaquias

Estou cursando Licenciatura em Educação Física na UFRJ e além do curso superior atuo como professor de Kickboxing. Sou fruto de projetos sociais implementados na Gamboa. Se estou na UFRJ e trabalhando com o Kickboxing devo agradecer aos meus professores e mestres que passaram na minha vida. 
Esse pensamento de gratidão que me levou até a Lanchonete pois, o meu foco é retribuir todo apoio que tive. Dessa forma, desenvolvo aulas de Kickboxing na Lanchonete em parceria com outros professores.

douglas.jpg

Mariana Guimarães

Estudo Arquitetura e Urbanismo na UFRJ e tenho direcionado minha formação para a área das ciências sociais e direitos humanos. Minha participação na Lanchonete é principalmente pensando maneiras de possibilitar formas
dignas e funcionais de
MORADIA para as famílias, mas também aprendendo e desfrutando desse espaço de liberdade e dignidade que se manifesta,
hoje, no galpão.

mariana.jpeg

Jéssica Dutra

Eu me chamo Jéssica mas muites me conhecem como Orquídea. Fui ativista de mídia livre ao longo de dez anos pela Rádio Interferência. Me formei em serviço social pela UFRJ e após a conclusão ingressei no programa de residência multiprofissional em saúde mental pelo instituto de psiquiatria da mesma universidade. Trabalhei com prevenção e posvenção de suicídio, fiz acompanhamento de processo penal com iniputáveis do hospital de custódia no Complexo Judiciário de Gericinó (Bangu), fiz acompanhamento terapêutico com internos do IPUB e de crianças da E.M. México (Botafogo) através do Nuppsam. Em 2020 atuei como assistente social em uma casa de acolhida para gerentes e puérperas em situação de extrema vulnerabilidade social e uso de drogas. Agora, encontrei a Lanchonete<>Lanchonete e sei que ainda existe muito conhecimento por vir, o que me dá energia para continuar traçando minha caminhada em um espaço coletivo e plural.

jessica.jpeg

Isabel Cristina da Costa Cardoso

Sou Isabel, carioca, filha de imigrantes  portugueses, Alzira e Paulino, que mal sabiam ler e escrever as “letras dos livros”, mas foram os primeiros a me ensinaram a “pronunciar o mundo”. Transformei-me em professora da Faculdade de Serviço Social da UERJ, em 1990, onde estou há mais de  30 anos, e milito sindicalmente como trabalhadora da educação e na construção de uma  universidade democrática, popular e socialmente referenciada.
Atuo com  extensão universitária no território da Região Portuária, desde 2011, com ações de defesa e apoio ao direito à moradia e às lutas pelo direito à cidade, inspiradas na educação popular. O Fórum Comunitário do Porto foi uma experiência importante de luta que integramos através da extensão e ajudamos a construir.  Cheguei à Lanchonete pelos caminhos da extensão e pela feliz sincronicidade de uma conversa com Marcelo Oliveira, artista visual, também da Lanchonete e companheiro de trabalhado e luta na UERJ.  
Desde 2020 aqui estou com a equipe do projeto de extensão que coordeno, chamado “Dialogi(Cidades): compartilhando saberes e práticas entre Serviço Social, territórios populares e a luta pelo direito à cidade”, aprendendo, como diria Paulo Freire, com o “saber de experiência feito”. Como
Dialogi(Cidades), contribuo nas frentes de ação-reflexão das Mulheres multiplicadoras de cuidados, da luta e discussão por Territórios Saudáveis e da construção coletiva do projeto MORADIA COMUM.

izabel.jpeg

Marcelo Oliveira 
É artista visual. Nasceu em Duque de Caxias, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Cursou economia na Uerj, mas enveredou  pela arte, tendo  frequentado vários cursos livres na UERJ, Parque Lage, Escola Sem Sitio e oficina de gravura do Sesc Tijuca. Participa do projeto de extensão Experiências Indicias IART/UERJ.  Integra a Associação Cultural Lanchonete-lanchonete, onde ministra OFICINA DE GRÁFICA para comunidade. Seus trabalhos artísticos são populares, com um tanto de humor e ironia. Nos últimos tempos vem produzindo intervenções urbanas com lambe-lambe em xilogravura, quase sempre de cunho político e social. Os cartazes de shows ou que anunciam produtos e serviços pela cidade são referências. A arte socialmente implicada tem sido seu foco desde o golpe de 2016, com ações de arte relacional.

marcelo.jpeg

Chico Diniz

Sou integrante da FIST, morador de ocupação. Atualmente ativando cinco cooperativas, idealizador do projeto Tranças de Culturas e organizador da versão 2021 do curso de formação da FIST (alfabetização e formação política) com demais companheiros. Entrego meu apoio em tudo que for preciso. Hoje em dia sou responsável pela portaria da Lanchonete.

IMG_20221019_164121.jpg

Rafael Martinez 
Sou nascido e criado na PROVIDÊNCIA, flamenguista, apaixonado por esportes, estudante de Educação Física e atuando como educador há mais de 10 anos. Sou ensinador de jogos e esportes para as crianças vinculadas à ESCOLA POR VIR da Lanchonete. 

rafael.jpeg

Thaysa Santos
Thaysa Santos ou Princesinha de Meriti é arte-educadora, grafiteira, escritora e pintora, seu trabalho é todo pautado nas questões raciais, dialogando com o público periférico-favelado. Retira o academicismo e se coloca em prol da margem, lugar que nasceu, viabilizando acesso a arte e valorizando a cultura periférica através do projeto Laboratório Di Cria (@lab.di.cria) - um projeto itinerante de experimentação artística nas periferias, onde é Idealizadora e produtora. Seu trabalho também se debruça na democratização da leitura e formação de leitores, faz isso com clubes do livro de valores acessíveis e pensados para atingir pessoas que não sabem como sistematizar a leitura. 
Por isso, além de ser uma leitora coletiva, a artista viabiliza cronogramas de leituras e como fazer a leitura ser parte do cotidiano. Seu trabalho como grafiteira é abrir diálogo com os jovens sobre  graffiti-pixação-xarpi, a cultura de rua é a grande ferramenta para a construção da jornada da artista. Thaysa produz fanzines com seus escritos e pintura em tela retratando mulheres pretas, orixás e figuras não binárias. Cursa ciências sociais na UERJ.

taisa.jpg

Lailana Krinski

Sou Lailana, fiz graduação em bacharelado e licenciatura em Artes Visuais, atualmente curso o Mestrado em Artes pela Universidade Estadual do Paraná, na linha de pesquisa de Experiências e mediações nas relações educacionais. Trabalhei como professora de artes no ensino formal da Educação infantil ao Ensino Médio de 2015 à 2019 e hoje faço parte do corpo do educativo da Escola por Vir.

lai.jpg

Nina Bruno Malta 
Estudei design em comunicação visual na PUC-RJ. Pós-graduada em crítica e curadoria de arte na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e em licenciatura em pedagogia pelo programa Pedagogia Pela Liberdade (UniBF). Desde 2016 trabalho como assistente da artista Josely Carvalho. Como freelancer toco  projetos de ilustração, fotografia, audiovisual e design. Em  2019 encontrei a Lanchonete onde sigo pesquisando, praticando vida e arte-educação especialmente na ESCOLA POR VIR.  Hoje em dia, somo na construção do site da Lanchonete.

Imagem do WhatsApp de 2022-10-24 à(s) 13

Yara Maria Miguel 

Sou Yara Maria Miguel, educadora Griô, mestra em educação, pedagoga, mediadora de leitura e formadora de profissionais que atuam em programas educativos no ensino formal e não formal. Conheci a Lanchonete<> Lanchonete em 2019 no Bar Delas, a atual sede havia sido recém alugada. Cheguei junto na parceria em 2022, assessorando a gestão institucional, pedagógica e a equipe da Escola Por Vir nos conteúdos referentes ao compartilhamento de saberes de oralidade, leitura e escrita. L<>L é um espaço único e muito especial que me enche de esperança em mundos possíveis para todas as pessoas com todos os direitos essenciais à vida digna.

IMG_20220725_143349.jpg

Herbert De Paz

Sou Herbert, nasci na América Central em El Salvador e vim morar no Rio de Janeiro em 2013 quando tinha 21 anos. Vim para estudar artes na UERJ e desde então trabalho como arte educador, comecei em projetos de exposições como mediação e depois me tornei oficineiro, sempre gostei de trabalhar com crianças e acredito no poder da arte na educação e transformação de vidas. Hoje em dia sou artista visual, trabalho com pinturas a partir de uma perspectiva histórica, buscando historias e personagens que tiveram relevância na resistência aos regímenes colonialistas. Me aproximei da Lanchonete em 2020 porque entendo a importância do projeto no território e eu quero somar compartilhando meus conhecimentos com as crianças, dou uma oficina de pintura na qual proponho explorar a potencia criativa de cada um.

IMG_20220517_145728.jpg

Nicole Xavier Meireles
Sou Nicole, psicóloga formada pela UFRJ e mestra em psicologia clínica pela PUC-Rio na linha de família e casal. Sou também formada como especialista em terapia através do movimento na Faculdade Angel Vianna e atualmente faço uma formação em psicologia e relações raciais no Instituto AMMA Psique e Negritude. Atuo na ONG Casa da Árvore desde 2017, na interseção entre a clínica, o brincar, a escuta, o corpo e a cidade. Na brecha entre o individual e o coletivo. Estou junto do projeto da Roda das Mulheres na Lanchonete <> Lanchonete desde 2020, em uma co-criação constante entre todas nós.

nicola.jpg

Cassiane Talita

Sou Cassiane Talita, sou psicóloga formada pela UFF e especializanda em em Ciência, Arte e Cultura em Saúde pela FioCruz. Atualmente estou aqui na L<>L através da ONG Casa da Árvore que atua em projetos de espaço de convivência e rodas de conversa em alguns territórios do RJ. Meus estudos estão voltados para os impactos sociais na subjetividade da população negra para poder ofertar um acolhimento e acompanhamento de qualidade das pessoas acompanhadas pela Lanchonete.

cassiane.jpg

Diego Avila 
Estou me graduando em Estética e Teoria do Teatro pela UNIRIO. Sou assistente de Direção de Marco André Nunes e Pedro Kosovski (Aquela Cia de Teatro) desde 2017. Sou operador de Luz, Som e Vídeo, editor de Vídeo, produtor da Mostra Aí e trabalho na Associação Cultural L<>L, especialmente na ESCOLA POR VIR desde 2020.

diego.jpeg

Leandro Serra

Sou professor de Geografia e faço Doutorando em Direito. Tenho experiência em educação popular e tecnologias sociais em territórios rurais e urbanos.
Aqui na Lanchonete participo dos
grupos de estudo e apoio à luta por HABITAÇÃO de interesse social.

leando.jpeg

Gabriel Martucci

Sou arquiteto formado pela FAU UFRJ. Desenvolvo uma pesquisa e prática voltada à temas relacionados à memória, território e paisagem alimentar, entre arte e arquitetura. Atuo como artista-educador na Lanchonete desde 2020 na ESCOLA POR VIR, a partir da intersecção de meios como a performance, fotografia, vídeo e desenho.

gabriel2_edited.jpg

Sandro

Sou Sandro tenho 46 anos e sou pai do Bento - que tem autismo e é o filho mais lindo do mundo. Jornalista por formação, após cerca de 20 anos atuando no ramo, resolvi seguir minha verdadeira vocação: a panificação. Autodidata, hoje tenho orgulho gigante de poder atuar profissionalmente com a manufatura e produtos artesanais na BoulangeRua. Atuo na L<>L, junto com suas companheiras, na Padaria das Mulheres, onde ensina a técnica milenar da panificação. Também sou grande apreciador da cozinha e trabalho, também junto com toda equipe, na produção de comida e quentinhas solidárias que são distribuídas à população da Pequena África.

sandrox_edited.jpg

Marina Silva

Sou Marina, tenho formação em Artes Visuais pela Uerj. Desenvolvo trabalhos performativos e de arte educação. Estive na lanchonete em 2022 com o desejo de experenciar praticas educativas com as crianças. Desenvolvemos trabalhos de leitura, alfabetização e artes na biblioteca Erê junto com a Escola por vir.

marina.jpg

Eileen Mattos Xukuru

Arte-Educadora, Artista Literária, Estudante em Formação de Pedagogia Griô e Filosofia, Facilitadora de projetos comunitários de valorização das diversidades socioculturais e  resgate de tradições e costumes.

eileen_edited.jpg

Sandro Garcia

Cineasta Belforroxense idealizador e fundador do Coletivo BaixadaCine, Cineclube Velho Brejo, ambos atuantes na Baixada Fluminense no eixo de produção, exibição e formação cinematográfica com foco na democratização do acesso, além da atuação em educação cinematográfica voltada para o público infantil com o Cinelab Infantil.

sandro.jpg

Lívea Mattos

Bacharel e formada em Psicologia pelo UFRJ;Diretora de Produção pelo SATED RJ; Formação em educação pelo Museu Bispo do Rosário; Formanda em Pedagogia Griô pela Escola de Formação em Pedagogia Griô 

Atuação durante 6 anos do projeto arte, educação e comunidade como coordenadora geral do núcleo pedagógico, social e cultural na Unicirco Marcos Frota no Rio de Janeiro, trabalhando em campo em várias favelas cariocas; Coordenação de logística no Projeto Estações Culturais no Teleférico do Complexo de Favelas do Alemão; Direção de produção e agenciamento artístico dos mestres Nelson Sargento, Tantinho da Mangueira , Rubem Confete, Lazir Sinval e do grupo Razões Áfricas ( as cantoras herdeiras do Jongo da Serrinha) ; Direção de produção dos shows Sambas e Histórias, Samba Canção também é Samba,  Nelson Sargento em Casa,Nelson Sargento coM Vida, Palco Iluminado ( projeto com cantores amadores da terceira idade), Tantinho: no meu tempo, coordenação do projeto Griôs da Cultura Popular Brasileira, envolvendo crianças e jovens da Favela da Mangueira e os griôs Nelson Sargento, Tia Maria do Jongo, Rubem Confete, Monarco e Tantinho da Mangueira.

livea_edited.jpg

Nina Ramos

Nasci no Rio de Janeiro, trabalhei por 30 anos como maître e gerente de restaurantes e serviços de buffet. Em 2019 comecei uma formação de Análise Psico-orgânica e passei a frequentar a Lanchonete Lanchonete.
Desde então exerço uma zeladoria do espaço, coordeno o Entreposto -
a distribuição de alimentos às famílias das crianças e organizo junto ao Sandro e às seis mulheres do território da Pequena África a
cozinha EcoAfroAfetiva. Também, participo desde o início da equipe da atendimento à SAÚDE MENTAL das infâncias e mulheres do território. 

ninaramos.jpeg

Marisa Melo  

Sou doutora em história pela UFF e venho atuando com ensino, pesquisa e extensão. Desde 2008 trabalho na elaboração e gestão de projetos culturais e educativo com a produtora e editora Automatica. Colaboro com o Galpão Bela Maré/OF desde sua fundação, em 2011. Organizei, com Pâmela Passos e Aline Dantas os livros Política cultural com as periferias: práticas e indagações de uma problemática contemporânea (2013) e Periferias em cena! (2013). Desde 2019 sou uma das gestoras de programa e financeiro da L<>L.

MARISA.jpeg

Flavia Oliveira 

Me formei em Psicologia pela PUC-RJ com especialização em Saúde Mental e Atendimento Ambulatorial no IPUB/UFRJ. Fundadora e gestora da Enfim Enfant, loja de brinquedos artesanais e criativos, co-fundadora da marca de roupas infantis Bebe Básico. Estive envolvida em projetos de arte educação e desenvolvimento de brinquedos, dentre eles o “Caixas e Bacia” com o Elaborando, a convite do Movimento Zika, 2016. Criamos objetos-brinquedos de baixo custo para auxiliar no desenvolvimento de crianças de 0 a 3 anos, material validado e aprovado pelo IFF/Fiocruz. Em 2018 aprofundei estudos com Curso de Saúde Integral da N.O.S escola e com a formaçao em Hatha Vinyasa Yoga com Camila Reitz. Desde 2019 sou uma das gestoras de programa e financeiro da L<>L , e faço a coordenação da equipe de atendimento à SAÚDE MENTAL das infâncias e mulheres do território da Pequena África.

flavia.jpeg

Thelma Vilas Boas 

Sou fotógrafa e pedagoga com mestrado em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes do RJ, fiz pós graduação em Cinema Documentário pela FGV e, desde que me mudei para Rio de Janeiro em 2012, venho participando de espaços independentes como a Residência Artística CAPACETE RJ com o projeto
LA BOCA_2015 e
 o espaço SARACVRA (RJ) com a Lanchonete <> Lanchonete_2017. Em 2016 participei do Move Arts Japan, iniciativa do curador Masato Nakamura, Museu 3331, Tokyo, para ativar espaços de cultura em regiões periféricas do Japão. Em 2018 a Lanchonete <> Lanchonete ocupa o Bar Delas e ativa o programa de arte e políticas dos afetos com a Lanchonete <> Lanchonete _ Ocupação Bar Delas. Fui convidada pela Faculdade de Artes da UFF para ministrar 6 meses de aula, onde propus a disciplina Práticas Artísticas para Além do Dispositivo Clássico de Exibição. Em 2019 participei
da residência artística Casa do Povo: uma instituição do comum com o trabalho 
DESLOCAR É PRECISO ativando a interlocução entre a
Casa do Povo, a Ocupação 9 de Julho e ocupações adjacentes à L<>L,
eu e mais 6 crianças da Pequena África viajamos de bus até SP, nos hospedamos na Ocupação 9 de Julho e vivenciamos juntes a experiência de residência artística. Contribui como artista  convidada no curso DESILHA na CIDADE do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da EBA RJ. Atualmente sou presidente da Associação Cultural Lanchonete <> Lanchonete, gestora dos programas desenvolvidos na Lanchonete, atuando no campo da arte  e coordenando com toda familia Lanchonete as práticas artísticas pedagógicas da
ESCOLA POR VIR.

thelma_edited.jpg

2020 - 2021